5+ formas de fazer o mundo mais inclusivo para pessoas trans*

O post de hoje é uma tradução de um post do It’s pronounced metrosexual, blog mantido pelo Sam Killerman, e dá algumas dicas de como podemos tornar o mundo melhor para pessoas trans*.

“Desculpa, professor(a), onde ficam as crianças que preferem se identificar como “incríveis” que por gênero?”

Nós vivemos em um mundo que reconhece duas opções de gênero. Se você não for exatamente “homem” ou “mulher”, vai ter dificuldade para encontrar o seu lugar, porque atualmente não existe um. Vamos mudar isso. A seguir está uma lista de sugestões para tornar o mundo um pouco menos binário e muito mais inclusivo para pessoas trans*. Leia, viva e faça sugestões nos comentários.

1. Leia a nossa lista de privilégios cisgêneros (link [en] [pt]) e a compartilhe com seus amigos.

Consciência é o primeiro passo para confrontar o problema. Se as pessoas não sabem que existe (assim como a maior parte das pessoas não sabe sobre as questões trans*), não vai haver nenhum movimento para se criar uma solução. Leia a lista de 30+ (e aumentando!) privilégios cisgêneros (em inglês) que foi compilada, comente com quaisquer sugestões, e, o mais importante, compartilhe. Mande para os seus amigos, pais, filhos, congressistas, qualquer um e todo mundo. De verdade. Em especial os congressistas (repare no marcador de plural).

2. Coloque na sua cabeça que a ideia de gênero não está atada aos genitais.

Continuando do último ponto, seria interessante se você entendesse o que, exatamente, transgeneridade é. Bom, pra sua sorte, existem diversas fontes de material sobre identidade de gênero. Leia e você terá uma ideia melhor do que quer dizer ser transgênero ou genderqueer. Compartilhe com os seus amigos e eles saberão também. Assim todos vocês saberão o que quer dizer que “suas roupas não têm obrigação moral de combinar com a sua anatomia interna.”

3. Invista seu dinheiro em empresas que sejam amigáveis com pessoas trans*.

Compre em lojas que tenham banheiros unissex. Compre produtos de companhia que tenham proteções pros funcionários trans*. Se você não tem certeza de quais empresas são ou não amigáveis confira a lista da HRC’s (nos EUA, em inglês). Eles traçam o perfil de organizações e as qualificam de acordo com o tratamento a funcionários LGB e T. A política muda com a opinião pública: se nós deixarmos claro que preferimos companhias que sejam amigáveis com pessoas trans*, mais companhias se esforçarão para serem assim.

4. Torne o seu local de trabalho ou organização inclusiva para pessoas trans*.

Continuando o número anterior, o seu empregador oferece um plano de saúde inclusivo para pessoas trans*? Uma pessoa trans* se sentiria confortável trabalhando lá? Levando seus parceiros lá? Existem proteções nos contratos de emprego que previna o uso de terminologia errada baseada na identidade de gênero? Se não, por quê? Fale com sua chefia. Fale com o proprietário. Ter um ambiente amigável a pessoas trans* é benéfico tanto para o empregador quanto para o empregado, pois assim eles estarão aptos a atrair e reter grandes talentos, independente de como a pessoa se identifica.

Ainda, quer você tenha um emprego ou ainda esteja no colégio, você provavelmente já preencheu um formulário que perguntava seu gênero/sexo (e que provavelmente não era muito inclusivo para pessoas trans*). Confira este artigo (em inglês) sobre como ser inclusivo perguntando gênero em um formulário e implemente a ideia onde quer que seja possível.

5. Interaja com pessoas individualmente.

Existem boas chances de que você conheça alguém que se identifique como trans*. De fato, existem boas chances de que você conheça várias pessoas. Você sabia disso? As chances são de que você não sabia. Aqui vai um fato simples para você: é nossa tendência interagir com pessoas baseados na nossa percepção do(s) grupo(s) que elas pertencem. Por exemplo, se você percebe alguém como menino você vai agir diferente com ele do que você iria com alguém que você percebe como menina. Pare com isso. Ou ao menos tente. Se você está incerto de como fazer isso, comece com a Regra de Platina (em inglês). Se você precisar de ajuda depois disso peça. E, pelo amor de Buda (o Buda é um cara bem legal), se você for usar pronomes generificados (ele/ela) tenha certeza de que você está usando os pronomes certos. Uma regra geral: use o pronome que se alinha com o gênero com o qual a pessoa se identifica.

6. Faça perguntas, sobre si e sobre as outras pessoas.

Transfobia é um obstáculo difícil de superar para a criação de um mundo mais receptivo para pessoas trans*. Tanto quanto a ideia de que uma pessoa não é exatamente (ou não era exatamente) “homem” ou “mulher” é assustadora, eu nunca encontrei uma pessoa que não tenha mudado de ideia depois de alguns minutos de conversa. Depois que as pessoas percebem que ser trans* não é muito diferente de ser “normal” [nota do tradutor: cis] (de fato não é nada diferente), você pode ver a transfobia começar a recuar. Investigue o seu próprio gênero. Use o material disponível para te ajudar. Eu aposto o meu dente da sorte (o bom) que você não é 100% homem mesmo que a sua camiseta diga que sim

Anúncios

Uma resposta para “5+ formas de fazer o mundo mais inclusivo para pessoas trans*

  1. Até conviver com trans* e ter me interessado mais no assunto, que fui perceber os meus privilégios como cis, até então só sabia da questão de nome social. Eu não tinha noção do quanto mulheres trans eram excluídas de eventos feministas, por exemplo. Era aquela simpatizante que na verdade tinha um conhecimento superficial. Então veio o tumblr, o maior convívio que foi fundamental para estourar a minha bolha.
    Por isso acho fundamental lerem a parte 1. Para sair dessa bolha mesmo. A parte 2 tô começando a aplicar, ainda escorrego nisso, mas ao menos percebo e me policio. Tenho lido mais para ter uma boa base, o que é fundamental.
    A 3 devia ter aqui né? Espero que lancem essa lista logo. A 4 é uma ótima ideia, se for fazer estágio foi fazer essa sugestão.
    E 5 e 6 é o que mais tenho feito ;D
    No mais ótimo post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s