Relato de uma balonada

Em situações como a deste vídeo os nossos corpos são usados contra nós, como forma de nos diminuir, nos forçando a querer acatar a norma por pressão popular. Nos são vendidos corpos magros, sarados, sem estrias ou celulite, e nas entrelinhas a cruel mensagem de que você não tem um igual porque não se esforçou o bastante.

“Estou preocupadx com a sua saúde!”
Você percebe que me humilhar afeta negativamente a minha saúde emocional, né?

Nossa sociedade impõe um padrão de corpos que não engloba boa parte da população, alimentando uma forma de violência que é disfarçada de preocupação. Ao longo do vídeo uma senhora repete diversas vezes que a Mulher Fruta Pão deveria “se tratar”, apesar desta aparentar ter boa saúde, dançando sem perder o fôlego.

A apresentadora, despreparada para a situação, faz cara de surpresa, quase cai no chão, e faz o infeliz comentário de que “algumas pessoas obesas têm a locomoção reduzida.”

A influência negativa desdes comentários é tão grave que somos cada vez mais inundados com notícias de pessoas com transtornos alimentares, novas técnicas cirúrgicas para perda de peso, dietas milagrosas etc. Todo um mercado é fortemente estabelecido em cima desta falsa necessidade das pessoas perderem peso, podendo, inclusive, tornar as pessoas menos saudáveis no processo.

A Jessica, uma das autoras do Blogueiras Feministas, escreve um post contanto a experiência dela com os preconceitos, a autoestima e como a possibilidade de fazer cirurgia ajudou no caso dela, sempre considerando os prós e contras.

“Eu tentava me aceitar. Mas não é fácil se manter psicologicamente bem o tempo inteiro quando não se é aceita. Quando eu era pequena era muito pior, tive problemas sérios, frequentei nutricionista, psicólogo e sei lá quantos outros médicos. Mas depois que cresci não deixei de usar biquine, ou sair, por ser gorda. Aprendi a me aceitar assim. Gorda, linda, e gostosa. Mas, porém, contudo, entretanto, todavia, não obstante, nada é perfeito. Em alguns momentos eu perdia aquela segurança da mulher gorda, linda e gostosa, e virava uma menina insegura e gorda, só gorda.”

Leia o link completo em: http://blogueirasfeministas.com/2012/10/relato-de-uma-balonada/

Enquanto isso, nos portais de notícia:
G1: Genética influencia mulher que quer ser magra a todo custo, diz estudo
UOL: O desmame e a anorexia infantil
Terra: Atleta britânica abandona triatlo para lutar contra anorexia
iG: Obras de arte modificadas para alerta sobre anorexia
R7: Anoréxica batalha pela saúde depois ter quase morrido

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s